Início da semeadura de cebolas no Alto Vale do Itajaí!

Início da semeadura de cebolas no Alto Vale do Itajaí!

Início da semeadura de cebolas no Alto Vale do Itajaí!


A comercialização da safra catarinense de cebola, iniciada em novembro e dezembro de 2020, se aproxima da fase final. O balanço geral aponta que, apesar da ocorrência de problemas climáticos em praticamente todo o ciclo da cultura, pode-se afirmar que os produtores catarinenses obtiveram, de forma geral, bons resultados econômicos. Porém, é preciso destacar que durante o período alguns municípios sofreram com a ocorrência da chuva de granizo, fato que provoca perdas e prejuízos, por vezes, significativos, podendo chegar à perda total da produção. Cerca de 56% da área cultivada foi afetada por estes problemas climáticos, fazendo com que a indenização do Proagro alcançasse mais de R$140 milhões para a cultura no estado.

A área cultivada ficou em 19.257 hectares (perda de 500 hectares) resultando na produção bruta de 506 mil toneladas. Deste total foram comercializadas até o momento cerca de 380 mil toneladas, uma vez que perdas pós-colheita são uma realidade na produção catarinense. O preço médio de venda deve ficar em torno de R$1,60/kg resultando em 600 milhões de reais o valor bruto da produção.

Os preços animadores da safra 2020/21, que em vários períodos permaneceram acima de R$2,00/kg, estimulam o plantio da nova safra. A expectativa é de que para a próxima temporada, a área plantada em Santa Catarina aumente em até 10%, ultrapassando 20 mil hectares. Os preços relativamente baixos da cultura do tabaco e as dificuldades para conseguir mão de obra também são um incentivo para o aumento no plantio de cebola no Alto Vale do Itajaí.

A nova safra vem com muitas preocupações. Os insumos, especialmente adubos e defensivos agrícolas, estão mais caros em função da valorização do dólar. A elevação do preço do óleo diesel também onera os custos de produção.

A suspensão, pelo segundo ano consecutivo, da fabricação e comercialização do herbicida Totril, fundamental para o controle de ervas daninhas, também cria dificuldades no manejo da lavoura. Em função disso, a semeadura direta na região de Ituporanga deve ficar abaixo de 5% da área cultivada. Por fim, a estiagem prevista para o outono/inverno causa preocupação, pois as reservas de água e os conjuntos de irrigação ainda são insuficientes na maioria das propriedades produtoras da hortaliça da região.

Independente destas dificuldades a semeadura dos canteiros de mudas avança no Alto Vale. O clima mais seco facilita o controle de doenças típicas de inverno. O plantio de variedades de casca vermelha e mais aptas para o armazenamento prolongado deve seguir a tendência dos últimos anos, com crescimento. São bulbos de excelente qualidade e maior aceitação comercial no mercado brasileiro, representando a chamada cebola “catarina”.

A semente está lançada e a expectativa é de uma grande safra!

 

Daniel Rogério Schmitt - Engenheiro Agrônomo

Epagri - Ituporanga/SC